CuriosidadeCiênciasPesquisador brasileiro ganha (Nobel de Matemática)

Pesquisador brasileiro ganha (Nobel de Matemática)

Img Mobile - Pesquisador brasileiro ganha (Nobel de Matemática)
Img - Pesquisador brasileiro ganha (Nobel de Matemática)




Pela primeira vez na história, um brasileiro ganhou o prêmio mais importante do mundo na área de matemática. O pesquisador carioca, Artur Ávila, foi agraciado com a Medalha Fields, considerada a maior premiação da matemática do mundo, uma espécie de Prêmio Nobel da Matemática.

Artur Ávila já era considerado um dos favoritos para receber o prêmio. Ele é pesquisador do IMPA, o Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada, localizado no Brasil; e do CNRS, Centro Nacional de Pesquisa Científica, na França.

Artur Ávila mora na França e trabalha como pesquisador. O brasileiro é autor de diversos artigos matemáticos e sempre se destacou na área. Ele alcançou o título do doutorado quando tinha apenas 22 anos de idade.

O pesquisador se dedica ao estudo dos sistemas dinâmicos, campo da matemática que busca compreender a evolução de fenômenos naturais através do tempo. Artur Ávila atua principalmente no campo da matemática pura, que não precisa apresentar aplicações práticas.

O site MathUnion.org classificou o trabalho de Ávila como uma “inspiração para as novas gerações de matemáticos”. O brasileiro começou a se envolver com a área ainda na adolescência por meio das Olimpíadas de Matemática.

A Medalha Fields é considerada mundialmente o Nobel da Matemática. A premiação é concedida a cada quatro anos para pesquisadores que se destacam em diversas áreas da ciência. Para receber o prêmio, os matemáticos precisam ter menos de 40 anos de idade.

Em 2014, além de Artur Ávila, o prêmio também foi concedido a Manjul Bhargava, da Universidade de Princeton; Martin Hairer, da Universidade de Warwick; e Maryam Mirzakhani, da Universidade de Stanford. Artur é o primeiro latinoamericano a receber o prêmio.





Img - Pesquisador brasileiro ganha (Nobel de Matemática)
+ Sobre essa Curiosidade: Prêmio Nobel
Comentários: