CuriosidadeHistóricasQual foi o primeiro livro impresso do mundo?

Qual foi o primeiro livro impresso do mundo?

Img Mobile - Qual foi o primeiro livro impresso do mundo?
Img - Qual foi o primeiro livro impresso do mundo?




O primeiro livro impresso no mundo foi um avanço conquistado pelo homem durante a Idade Média, no século XIV. Este livro só foi possível graças à invenção da prensa com tipos móveis de Johannes Gutenberg. A obra escolhida para a primeira impressão da história foi a Bíblia. O projeto causou uma verdadeira revolução cultural.

O primeiro livro impresso com a técnica de Gutenberg é chamado de Bíblia em Latim. O livro tinha 641 páginas que foram forjadas em letras em chumbo e arranjadas manualmente.

A Bíblia de Gutenberg foi impressa com estilo de escrita gótica. Foram feitos cerca de 300 exemplares do livro, todos com detalhes minuciosos desenvolvidos pelo alemão Johannes Gutenberg.

A impressão do primeiro livro foi um grande avanço para a tecnologia moderna de impressão e tipografia. Com o tempo, os tipos móveis foram aperfeiçoados e se tornaram peças reutilizáveis para a impressão em massa.

O trabalho da primeira Bíblia começou em 23 de fevereiro de 1455 e demorou 5 anos. Atualmente, existem cerca de 60 Bíblias de Gutenberg espalhadas pelo mundo. 12 delas estão impressas em pergaminho, e 48 em papel. Na Alemanha é possível encontrar alguns exemplares da Bíblia de Gutenberg em bibliotecas de universidades.





Img - Qual foi o primeiro livro impresso do mundo?
+ Sobre essa Curiosidade: Bíblia Livro
Comentários:

Curiosidades Relevantes

Nos siga

O site dos curiosos.

Veja também

  • Como tirar passaporte e visto americano de bebê?
  • Quais características uma miss universo deve ter?
  • Como apagar um incêndio em um poço de petróleo?
  • O Quarto Estado da Matéria
  • Ressonância
  • Teoria da Grade do Mundo
  • Radicais livres: os vilões das células!
  • CEO da Tesla revela sistema de bateria de carros elétricos para uso em residências

Você Sabia?

Em um tempo de vida médio é possível afirmar que a pele humana é renovada mil vezes.