Cotidiano

Homem morre após intoxicação por alta dosagem de cafeína

Se você já tentou levar a sério a vida de academia, com disciplina e rotina, provavelmente já entrou em contato com produtos voltados para esse universo. Creatina, proteína, BCAA, glutamina e alguns outros, formam uma lista de suplementos que muita gente usa. O nome já diz corretamente o que são essas substâncias: suplementos, voltados para melhorar o desempenho e estimular o crescimento muscular. Nessa lista, você talvez já tenha visto cafeína sendo citada.

É bom deixar claro que nenhuma dessas substâncias é necessariamente prejudicial a saúde, então fique tranquilo. É claro que tratam-se de suplementos que devem ser tomados sob orientação de profissionais, tanto médicos quanto da nutrição.  O uso indiscriminado dessas substâncias pode não ser tão bom assim para o seu organismo, então é bom saber o que você precisa suplementar e quanto deve ser essa suplementação.

Feito o alerta, vamos ao caso que nos trouxe aqui. Aos 29 anos, Tom Mansfield era considerado um homem saudável. Pai de dois filhos e casado, ele era personal trainer e investido também no mundo do exercício. Como muitos outros, ele fazia uso de suplementos para potencializar sua performance. Foi exatamente através de cafeína em pó que Mansfield acabou sofrendo uma intoxicação da substância. O homem errou na dosagem e acabou tomando o equivalente a 200 copos de café.

Os sinais de intoxicação vieram imediatamente após a ingestão. Mansfield começou a se sentir mal, com dores no peito e batidas do coração aceleradas, além de também espumar pela boca. Uma ambulância foi rapidamente chamada para prestar socorro e Mansfield chegou a ser hospitalizado, mas infelizmente não resistiu. Mansfield chegou a ser levado ao Glan Clwyd Hospital, em Wales, Reino Unido, mas não sobreviveu. Antes de pronunciarem a morte do personal, os médicos tentaram ressuscita-lo por 45 minutos.

PUBLICIDADE

A fabricante do pó usado por Mansfield recomenda o uso de 200mg de pó por dia, com o limite máximo seguro sendo de 200mg. A hipótese levantada para explicar o caso de Mansfield foi erro na escala usada na balança. Se, no lugar de miligrama, ele usou grama, então é possível que tenha se equivocado na hora da conversão – o que pode ter sido a causa da overdose. Segundo autópsia realizada, Mansfield, no momento da morte, tinha o equivalente a 392mg de cafeína por litro de sangue.

O caso gerou uma onda de críticas a fabricante do produto porque a embalagem não fornecia um dosador específico, algo que poderia ter dispensado o uso de balança e, consequentemente, prevenido o erro de Mansfield e evitado sua morte. A empresa não se manifestou sobre as críticas, nem informou se vai mudar o padrão de suas embalagens.

A repercussão do caso, que foi noticiado na BBC e Metro, para citar apenas alguns, causou espanto em muita gente. Um dos principais motivos do espanto é que Mansfield era um personal, assíduo na academia e disciplinado. Ainda assim, com toda a experiência, ainda cometeu um erro que acabou custando sua vida. Todo cuidado acaba se revelando pouco quando o assunto é a vida, então o caso acaba servindo de alerta.

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]