Universo

Já se perguntou o que são as crateras da lua? Aqui esta a resposta

Quando você estudou a lua na escola provavelmente aprendeu várias coisas sobre ela não é? A lua é nada mais, nada menos, que o maior satélite natural do sistema solar. Você deve ter aprendido isso, certo? Na escola aprendemos várias coisas sobre a lua, mas a ciência esta sempre fazendo novas descobertas.

Agora, por exemplo, um estudo afirma ter descoberto o que são as crateras da lua. A lua é repleta de crateras em sua superfície, como você deve saber. O motivo dessas formas era controverso, já que a comunidade científica não parecia entrar em acordo sobre isso. Agora um novo estudo tenta encerrar as discussões.

A pesquisa, realizada por cientistas da Universidade Curtin da Austrália, sugere que a lua tenha sido um verdadeiro saco de pancadas espacial. A teoria dos pesquisadores é a de que a lua nunca teve proteção atmosférica, o que permitia aproximação de basicamente todo corpo celeste do sistema solar. O resultado, segundo os pesquisadores, foram as crateras que conhecemos.

Katarina Miljkovic, o grande nome por trás do estudo, deu entrevista a revista Nature Communications e detalhou um pouco melhor o processo de formação das crateras. “Essas grandes crateras de impacto, muitas vezes referidas como bacias de impacto, formadas durante a solidificação do oceano de magma lunar há mais de 4 bilhões de anos, deveriam ter produzido crateras de aparência diferente, em comparação com aquelas formadas posteriormente na história geológica”, afirmou.

PUBLICIDADE

Para entender essa declaração é preciso entender que a lua apresenta diferentes crateras, com padrões diferentes. O que os pesquisadores acreditam ser um sinal de que as crateras foram criadas em momentos diferentes, por meio de impactos diferentes. A Lua tem sido um “saco de pancadas” pelos últimos bilhões de anos.

Magma Lunar

Os cientistas acreditam que a lua era coberta por um oceano, exatamente como o planeta Terra, mas o oceano era de “magma lunar”. Foi exatamente sobre esse oceano que os corpos celestes começaram a “cair”, gerando grandes colisões e choques que reformulariam a aparência da lua.

PUBLICIDADE

Tenha em mente que esses processos se deram ao longo de milhões de anos e começaram quando a lua ainda tinha uma superfície “macia”, contra a qual os impactos não deixavam marcas tão profundas. No entanto, a lua passou por um processo de endurecimento e, com isso, os impactos passaram a ser muito mais violentos.

É claro que, a esta altura da pesquisa, todas as descobertas são voltadas ao entendimento da lua. No entanto, a Professora Doutora Miljkovic explica que muitos desses entendimentos servem também para a Terra. Considerando a passagem de milhões de anos, a verdade é que sabemos pouco sobre o planeta. “Esta descoberta ajudará pesquisas futuras a entender o impacto que a Terra primitiva poderia ter experimentado e como isso teria afetado a evolução do nosso planeta”, explicou.

Todas essas pesquisas adicionam um pouco de esclarecimento a assuntos que são realmente desconhecidos pela ciência, de maneira geral. Cada contribuição encurta o trabalho de um novo grupo de pesquisadores, assim por diante, fazendo pequenos progressos.

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]