Cotidiano

O que é a ‘cronofobia’ e como saber se você tem?

Na vida, existem algumas coisas completamente certas e inevitáveis. Uma dessas coisas, por exemplo, é a morte. Absolutamente todo ser humano que nasce, já o faz com a inevitável sentença da morte. Idealmente, morremos em decorrência da idade, sem sermos atravessados por doença terminal, acidente ou ação dolosa de terceiros. Ainda assim, todos temos certeza da morte. Outro ponto inevitável da vida é a passagem do tempo, simplesmente porque não o controlamos.

Houve um tempo em que o ser humano não marcava a passagem do tempo como fazemos agora. Antes da criação do calendário e das horas, os seres humanos se baseavam no nascer e pôr do sol: quando ele nascia, era hora de acordar e enfrentar as tarefas diárias; quando ele se punha, era hora de dormir. Quando criamos as horas, os dias, os anos, organizamos muito da civilização, mas também abrimos portas para um sem número de problemas.

O conceito de tempo é um assunto que não se encerra na filosofia, mas que também tem aplicações práticas na vida das pessoas. Para a maioria de nós, o tempo passa sem que percebamos. É claro que, em algumas conversas, vamos observar que alguém “cresceu”, que o “tempo passou”, que o “tempo voa” e outras observações. Ainda assim, depois desse pequeno momento de nostalgia e contemplação, voltamos a vida cotidiana em que nada acontece. No entanto, para algumas pessoas, a passagem do tempo é motivo de profunda angústia e isso se tornou uma patologia.

O que é a cronofobia?

Para pessoas com cronofobia, a passagem do tempo pode ser tudo, menos natural ou confortável. São pessoas em constante preocupação com a passagem do tempo, sempre preocupados em manter o controle sobre isso e inquietação. O assunto se tornou ainda mais preocupante durante a pandemia, com milhões de pessoas trancadas em casa e com a sensação de estarem “perdendo” dois anos de vida.

PUBLICIDADE

Alguns grupos sociais costumam ser mais sujeitos a desenvolver algum episódio, ou o transtorno de modo mais grave. Pessoas privadas de liberdade, por exemplo, tendem a desenvolver algum grau de cronofobia, muitas vezes associada a angústia profunda, sentimento de que estão desperdiçando seu potencial, etc. A cronofobia também pode surgir em pessoas que passaram por uma experiência traumática e potencialmente fatal, pois podem ter uma percepção intensificada de sua mortalidade e do passar do tempo como resultado. Algumas pessoas desenvolvem cronofobia mesmo depois de descobrirem sobre acidentes horríveis que aconteceram com outras pessoas.

A cronofobia, assim como outros transtornos classificados como fobia, gera uma forte onda de ansiedade pelo corpo. Portanto, um dos primeiros sinais de que algo esta errado é ter mal-estar diante da simples sensação de descontrole da passagem do tempo. Seja a sensação de que ele passa rápido demais,  ou devagar demais, mas se trata de um desconforto que te causa profundo mal estar, incluindo: suor, falta de ar, tremedeira, desmaio ou sensação de desmaio, tontura, etc.

Se você acha que pode estar lidando com esse problema, a boa notícia é que existe tratamento. Você deve procurar acompanhamento de um psicológico e, em alguns casos, psiquiatra para ajudar no controle da ansiedade.

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]es.com