Cotidiano

Pediatra explica como lidar com a pirraça dos filhos

Quem já precisou lidar com crianças sabe que elas podem ser caixinhas de surpresa. Imprevisíveis muitas vezes, nem sempre é fácil lidar com uma criança, especialmente quando você mesmo não esta pronto para isso. Para muitos pais e responsáveis, se preparar para esse tipo de desafio é mais do que importante.

Muitas vezes caímos no erro de classificar qualquer comportamento infantil como birra, ou algum tipo de pirraça sem sentido. Aí já reside um problema que acaba dificultando a evolução de toda a relação entre adulto e criança. Para lidar com uma criança, é importante se esforçar para entende-la.

A pediatra Dra. Nerissa S. Bauer fala sobre isso em um artigo publicado na revista Tribune Content Agency. No estudo, a Dra. Bauer destaca o quanto as “pirraças” são mal interpretadas e acabam sendo, ironicamente, retro-alimentadas. É muito fácil classificar uma criança como “difícil” ou “pirracenta” porque ela faz birra, mas o que será que esta produzindo isso?

A chave para lidar o problema é entender que a criança possui mecanismos muito menos sofisticados que os adultos. Para lidar com sentimentos como raiva, medo, frustração, surpresa ou qualquer tipo de incomodo, o repertório infantil é muito limitado. Toda a infância é um período de aprendizado, inclusive no aspecto das emoções. Ou seja, tenha em mente que a sua criança esta aprendendo a lidar com essa enxurrada de emoções.

PUBLICIDADE

O que muitos adultos fazem, e acabam tendo uma reação completamente oposta, é exigir que a criança se comporte como um mini-adulto. Você pode corrigir e educar o pequeno para que ele saiba que pirraça é errado, mas também deve acolhe-lo e mostrar que você se importa com os sentimentos que ele esta tentando expressar.

Dicas de sobrevivência

Episódios de pirraça e birra, em alguns casos, também podem estar associados a algum trauma. Talvez a criança tenha visto ou ouvido algo que não deveria, talvez tenha sido vítima de violência. O adulto precisa estar alerta para esta possibilidade e pronto para agir, se for o caso.

As experiências adversas da infância tendem a durar mais do que um único momento, o que faz com que os sistemas de estresse das crianças fiquem ligados por muito tempo. Quando isso acontece, o estresse se torna tóxico para a saúde geral. Quanto mais ACEs as crianças enfrentam, mais danos podem sofrer ao longo do tempo“, esclarece o texto, sobre o assunto.

PUBLICIDADE

Para diminuir ao máximo os episódios de pirraça, o ideal é alimentar um ambiente saudável para que a criança tenha certeza e confiança de que esta tudo bem, para que ela desenvolva a sua inteligência emocional. Os pequenos podem sofrer com a dificuldade em expressar aquilo que estão sentindo, pensando ou do que tem medo.

Nesse sentido, alimentar hábitos saudáveis e integrar a criança em uma rotina saudável é fundamental. A dra. Bauer destaca que práticas como ler em conjunto ou hábitos que formem uma rotina, como cozinhar juntos ou conversar, são formas de demostrar para a criança que ela esta em um ambiente estável.

 

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]