Cotidiano

Princesa japonesa escolhe plebeu como marido e abre mão de Império

Falar em Impérios, realeza, plebeus… geralmente as pessoas pensam ou em filmes, ou na família real britânica. Os filmes são justificados por si mesmos, certo? São muitos os roteiros que abordam esse tema e que, de alguma maneira, acabam ficando na cabeça das pessoas. Mas quando o assunto é a vida real, a família real britânica é apenas uma das existentes.

Recentemente, o Reino Unido viveu dois grandes choques. O Príncipe William, Duque de Cambridge, escolheu se casar com uma plebeia. William e Catherine Middleton se casaram em 2011, depois de uma decisão que chocou o mundo britânico. Depois dele, mais recentemente, seu irmão Harry não apenas casou com uma “plebeia”, como escolheu a atriz negra e norte-americana, Meghan Markle.

Mas não é apenas no Reino Unido que histórias assim acontecem. Recentemente, o Japão se chocou ao descobrir a decisão da princesa Mako. O Trono do Crisântemo é atualmente ocupado pelo Imperador Naruhito, que não tem filhos. Ele é casado, mas nunca teve filhos e isso faz com que Mako, sua sobrinha, seja a sucessora. O Trono japonês é estruturado em uma lógica patriarcal.

Para se ter ideia, em 1959, Akihito, avô de Mako, se casou com uma plebeia (primeira vez que alguém da família real se casava com alguém que não fosse da realeza). Isso não o impediu de assumir o trono, do qual abriu mão em 2019, para que Naruhito, seu filho, pudesse assumir. Agora, Mako tomou a mesma decisão de seu pai, no entanto por ser mulher ela deixou de assumir o trono.

PUBLICIDADE

Mako se apaixonou por Kei Komuro, um simples japonês que conheceu na faculdade. Os dois namoraram durante toda a graduação e agora tomaram a decisão de se casar. Komuro não recebe um título de nobreza por se casar com Mako e, além disso, ela perde seu posto de sucessora ao trono. Mas não é apenas a escolha de seu marido que chocou a sociedade japonesa, Mako esta fazendo tudo de acordo com seus próprios termos.

Ao abdicar do trono, Mako teria direito a um depósito no valor de 152,5 milhões de ienes (algo em torno de 7,2 milhões de reais), mas fez questão de recusar. Além disso, ela abriu mão de vários ritos japoneses e deverá deixar o país em breve, para morar nos Estados Unidos com o marido, que é advogado. Komuro, por sua vez, também não agradou aos japoneses, ele esta sob intenso julgamento no país.

A saída do país é uma tentativa de fuga. Mako e Komuro namoram há anos e durante todo esse período sofreram com a intensa pressão da mídia. Sob a pressão de assumir o trono e se tornar a herdeira perfeita, Mako desenvolveu transtorno de estresse pós-traumático e nunca escondeu suas intenções de se casar. O casal agora tentará uma vida mais pacífica, e “anônima”, nos EUA.

PUBLICIDADE

Komuro é muito criticado por boa parte da sociedade japonesa porque não seria “digno o suficiente”, já que é de origem humilde. Para os japoneses, Mako deveria se casar com algum nobre e rico, que pudesse se adaptar a vida real.

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]om