CuriosidadeCiênciasA descoberta da aspirina

A descoberta da aspirina

Img Mobile - A descoberta da aspirina
Img - A descoberta da aspirina




A aspirina é um dos medicamentos feitos à base de ácido acetilsalicílico mais populares no mundo, funciona como anti-inflamatório, antipirético e analgésico. Sua descoberta se deu no século V a.c., quando Hipócrates observou que a casca do salgueiro possuía propriedades que aliviavam as dores e diminuíam a febre.

Além da Grécia, foram registradas menções sobre essas propriedades no Oriente Médio, na Suméria, no Egito e na Assíria. Porém, somente em 1793, um reverendo chamado Edmund Stone descreveu de forma científica os efeitos da casca do salgueiro no organismo humano.

Em 1828, o princípio ativo, chamado salicina ou ácido salicílico, foi isolado em sua forma cristalina por Henri Leroux e Raffaele Piria, um farmacêutico francês e um químico italiano, respectivamente.

Alguns anos depois, em 1897, o laboratório farmacêutico alemão Bayer uniu o ácido salicílico ao acetato, criando o ácido acetilsalicílico, bem menos tóxico que sua forma original encontrada na casca do salgueiro. Pela primeira vez na história da farmacologia, um medicamento havia sido sintetizado e não recolhido diretamente da natureza. Além de ser a primeira criação propriamente dita da indústria farmacêutica, a aspirina foi o primeiro fármaco a ser vendido em tabletes.

Curiosidade: O nome “aspirina” foi obtido da seguinte forma: A de acetil; Spir de Spiraea ulmaria (planta que fornece o ácido salicílico); e in (sufixo muito utilizado na época).





Img - A descoberta da aspirina
+ Sobre essa Curiosidade: Medicamento
Comentários:

Nos siga

O site dos curiosos.

Veja também

  • Colostro
  • Relâmpagos vs Asteróides
  • Qual a origem da palavra trabalho?
  • O que é cleptofobia?
  • Síndrome Pulmonar por Hantavírus (HPS)
  • Eu hein! Agora a moda é ser um frango congelado!
  • Carro Gêmeo Siamês
  • O Gato Preto

Você Sabia?

É possível morrer prendendo o espirro, ou também, se você espirrar muito forte é possível fraturar uma costela.