Conheça os mistérios da empresa que pretende levar seres humanos ao espaço em 2018

Conheça os mistérios da empresa que pretende levar seres humanos ao espaço em 2018
Por Juliana Miranda

A Blue Origin é uma empresa aeroespacial de financiamento privado que pretende levar seres humanos ao espaço até 2018. A empresa é cercada por mistérios e curiosidades, e pouco divulga suas ações e testes aeroespaciais.

Em seus lançamentos de foguetes, a Blue Origin geralmente avisa a imprensa com apenas um dia de antecedência e depois lança um vídeo editado com os destaques do teste. O exemplo mais recente foi quando a empresa pousou seu foguete New Shepard pela terceira vez, depois de uma viagem ao espaço suborbital.

Entre as principais curiosidades dessa empresa destacam-se os desenhos de tartarugas na porta das cápsulas espaciais. Ao todo, são quatro tartarugas, que, de acordo com o Twitter da empresa, representam as missões bem-sucedidas realizadas até agora.

Os mesmos répteis também aparecem no logotipo da Blue Origin, que é um brasão de armas com aspecto vintage e desenhos de tartarugas. A simbologia do logotipo da empresa está relacionada à história “A Tartaruga e a Lebre”, em uma alusão às tartarugas alcançando as estrelas.

O futuro da Blue Origin


A sede da empresa fica em Washington, nos Estados Unidos. A Blue Origin foi fundada no ano 2000. O líder da companhia é o fundador da Amazon, Jeff Bezos.

Nos últimos anos, a Blue Origin vem desenvolvendo sistemas de voo espacial inovadores. A empresa é cuidadosa com seus testes e tem como inspiração as tartarugas, que de forma lenta e constante alcançam suas conquistas. O brasão de armas da empresa teria sido projetado por um arquiteto.

Tartaruga na Cápsula

Assista aos testes:

A Blue Origin é uma companhia que não ostenta suas vitórias e resultados. O sonho da diretoria da empresa é ver a exploração do espaço como um meio alternativo para obter matérias-primas e energia para a vida na Terra. Além disso, a meta da Blue Origin também é possibilitar que milhões de pessoas possam viver e trabalhar no espaço no futuro.


Crédito das fotos: blueorigin.com e inverse

Fonte: Inverse.