CuriosidadeTecnologiaTurbina minúscula tem capacidade de gerar energia para uma cidade inteira

Turbina minúscula tem capacidade de gerar energia para uma cidade inteira

Img Mobile - Turbina minúscula tem capacidade de gerar energia para uma cidade inteira

A GE Global Research anunciou o desenvolvimento de um turbina revolucionária, capaz de gerar energia elétrica para alimentar uma cidade inteira. O curioso é que essa turbina tem uma estrutura minúscula e custou apenas 150 libras para ser produzida (algo perto de 700 reais).

Embora pequena em estatura, a turbina pode ser a solução para os maiores desafios energéticos do mundo, segundo Doug Hofer, especialista em turbinas a vapor da GE Global. O modelo da turbina é feito de metal de alta resistência.

A máquina compacta poderá ser, no futuro, a chave para a geração de energia limpa e eficiente. O elemento que gira a turbina é o dióxido de carbono, espremido e aquecido para que forme um fluido supercrítico.





A GE Reports publicou recentemente um artigo mostrando como esta turbina poderá ajudar as empresas a transformar o CO2 em energia mais limpa. Além do programa de CO2 com a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada do Governo-Energia (ARPA-E), a GE também está trabalhando em outros programas com o Departamento de Energia dos Estados Unidos.

A tecnologia desenvolvida conseguirá aumentar a eficiência de usinas de energia centralizadas, gerando uma faixa de 500 megawatts, o suficiente para alimentar uma cidade grande.

O futuro da energia no planeta


Hofer, GE Global Research
Doug Hofer, GE Global Research, Mini Rotor

Estima-se que a demanda de energia no mundo aumente em cerca de 50% nas próximas duas décadas e, por isso, é tão importante investir em novas soluções de energia limpa para o planeta.

A tecnologia da GE ainda está em estágios iniciais de desenvolvimento, mas deve evoluir bastante no prazo de um ano. A empresa vê sua nova turbina como um forte rival para as baterias que armazenam energia em redes.

Atualmente, a GE Global Research está testando uma potência de pequena escala para abastecer até 10.000 casas. A turbina é acionada e conduzida pelo "dióxido de carbono supercrítico", em um estado de pressão muito alta e de até 700°C. Depois que o dióxido de carbono passa através da turbina, ele é resfriado e reprimido antes de retornar por outra passagem.

O tamanho compacto da unidade e a capacidade de torná-la útil no armazenamento em grade fazem com que essa turbina seja uma promissora promessa para o futuro. Doug Hofer, engenheiro da GE e responsável pelo projeto, disse que, além de ser mais eficiente, a tecnologia poderia ser mais útil em um cenário de armazenamento de energia.

Vale dizer que a maioria das turbinas usadas hoje é conduzida pelo vapor, o que exige que elas sejam maiores. Já esta nova tecnologia, à base de dióxido de carbono supercrítico, trabalha de forma altamente pressurizada e extremamente quente e, por isso, tem o tamanho reduzido.

A turbina é projetada para ser mais eficiente do que as turbinas a vapor no processo de conversão de calor em eletricidade. O design da turbina minúscula tem como objetivo aproveitar este poder do CO2.

Segundo o MIT's Technology News, essa tecnologia pode significar uma melhoria significativa em relação às turbinas de vapor, alcançando uma eficiência até 45% maior. O protótipo do projeto foi feito com uma turbina de 10 MW, e uma faixa de 500 megawatt. Os primeiros testes físicos já estão sendo realizados!

Fontes: GE, Popular Mechanics



+ Sobre essa Curiosidade: Eletricidade Energia Limpa Energia Solar
Comentários:

Curiosidades Relevantes

Nos siga

O site dos curiosos.

Veja também

  • Colostro
  • As 20 fotografias mais fortes de todos os tempos
  • 10 razões pelas quais as pessoas altamente inteligentes têm dificuldades para serem sociáveis
  • Fotos de Anjos Reais
  • Quais foram os piores acidentes domésticos envolvendo panelas de pressão já noticiados?
  • Qual a origem da páscoa e do coelhinho da páscoa?
  • Qual a origem do reality show?
  • A Curiosa Formação das Miragens

Você Sabia?

O chocolate ao leite foi inventado por Daniel Peter e vendido ao seu vizinho, Henri Nestlé.