Cotidiano

Cientistas descobriram uma nova parte do corpo humano jamais antes vista

Desde muito cedo, aprendemos sobre o corpo humano e nossos órgãos. É natural ensinar sobre isso às crianças, desde muito pequenas, afinal de contas trata-se dos nossos corpos. Não é à toa que existem livros infantis destinados para essas lições, porque aprender sobre o corpo humano é importante desde o começo da vida. Mas como você se sentiria ao saber que todos esses livros de anatomia estavam “errados”?

Uma nova descoberta científica evidenciou a necessidade de atualizar as informações presentes nesses livros. Acontece que todos os livros de anatomia se tornaram obsoletos, a partir desta descoberta. O que acontece é que os cientistas descobriram uma nova parte do corpo humano, que nunca havia sido documentada até o momento. Você pode estar curioso para saber onde esta parte esta localizada e já vai descobrir.

Se alguém te perguntar sobre o mecanismo para mastigar, o que você vai responder? Provavelmente, você vai falar sobre a mandíbula, não é mesmo? É exatamente nesta área do corpo que foi descoberta uma nova parte, responsável pela habilidade de mastigar/mascar. Esse processo é fundamental e foi revelado e publicado na Annals of Anatomy. A publicação traz informações sobre um músculo nunca antes documentado, que desempenha um papel fundamental.

PUBLICIDADE

Aninhado profundamente no músculo masseter – o mais proeminente dos músculos da mandíbula – o novo músculo é encontrado entre a parte de trás das maçãs do rosto e a mandíbula inferior. O músculo masseter mais conhecido e você pode sentir de forma muito simples, colocando a mão na bochecha ao mastigar. Não é preciso nenhum dispositivo ou equipamento especial para isso, você precisa apenas da mão.

O masseter sempre foi tido como “entendido” pelos pesquisadores, como um músculo composto por duas partes: uma mais profunda e uma mais superficial. No entanto, essa é uma compreensão que resultava em discordâncias, o que se tornou alvo das pesquisas do Professor Doutor Jens Christoph Türp, do Centro Universitário de Medicina Dentária da Basiléia, e do Dra. Szilvia Mezey, do Departamento de Biomedicina da Universidade de Basel.

Esta seção profunda do músculo masseter é claramente distinguível das outras duas camadas em termos de seu curso e função”, declarou Mezey. “A nova camada está envolvida na estabilização da mandíbula”, acrescentou Mezey, depois de estudar o arranjo das fibras musculares. Ela também acredita que é a única parte do masseter que puxa a mandíbula para trás.

PUBLICIDADE

Para chegar a esta descoberta, os pesquisadores analisaram cadáveres, imagens computadorizadas de cadáveres e também uma ressonância magnética de um sujeito vivo. As imagens deixaram clara a presença do novo músculo, que também ganhou um nome totalmente novo: Musculus masseter pars coronidea – que significa parte coronoide do masseter – já que se liga à parte muscular (coronoide) da mandíbula inferior.

Esta é uma descoberta que traz novas realizações ao estudo da anatomia humana, mas que também serve como um ponto de partida para tratamentos clínicos para pessoas que sofreram algum tipo de trauma na mandíbula. Para o tratamento desta parte do corpo, essa é uma descoberta que traz novas possibilidades.

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]