Cotidiano

Estuda confirma que álcool causa câncer

Existe uma discussão muito mais antiga que todos nós sobre o quanto o álcool deve ou não ser acessível, no âmbito das discussões sobre a alegada guerra as drogas. Há quem classifique o álcool como droga sem pestanejar, devido aos danos irreversíveis que pode causar ao organismo. Afinal de contas, se trata de uma substância química que pode causar dependência, doenças e alteração psíquica. Ainda assim, enquanto uma série de outras substâncias são consideradas proibidas, o álcool é legalizado e facilmente acessado.

Existem setores da sociedade que acreditam que os governos deveriam investir mais no controle da venda de bebida alcoólica, além de campanhas para conscientizar a população sobre seus riscos. Especialmente entre grupos mais jovens, o consumo de bebidas alcoólicas é sempre um problema, que acaba recaindo sobre os sistemas de saúde mundo afora.

Agora, uma nova informação promete adicionar ainda mais combustível nessa discussão inflamável. Sempre se discutiu o quanto o álcool pode ser fator de risco para o desenvolvimento de câncer, mas não existia ainda uma resposta definitiva para este embate. Agora, segundo um novo estudo, não restam dúvidas: o álcool causa, sim, câncer. Um estudo assinado pelo Dr Pek Kei Im, do departamento de Saúde da População, da Universidade de Oxford, mostra a relação entre os fatores.

A pesquisa foi publicada no International Journal of Cancer e ja tem gerado repercussão. A descoberta passa por um processo complexo de estudo, mas um bom resumo do resultado é o seguinte: No geral, os homens que não bebem têm um risco 14% menor de contrair câncer, segundo o estudo, e um risco 31% menor de cânceres específicos que estudos anteriores associaram ao álcool, como cólon, esôfago e fígado.

PUBLICIDADE

O estudo revelou uma relação direta entre o consumo de álcool e a ocorrência de alguns tipos de câncer. Essa relação pode ser relevante para que novos programas de conscientização possam ser desenvolvidos, além de adicionar ainda mais lenha na discussão sobre o quanto o álcool deve ou não ser legalizado.

Para chegar ao resultado da pesquisa, os cientistas focaram em um grupo muito particular: chineses que possuem uma alteração genética, que os torna menos capazes de metabolizar o alcool. Cerca de 150 mil pessoas participaram da pesquisa, das quais 60% era mulher. No entanto, o resultado acabou sendo focado em homens porque as mulheres chinesas, que participaram da pesquisa, não são consumidoras de alcool com regularidade. Ainda assim, os pesquisadores concluíram que a falta de dados sobre as mulheres era em decorrência da falta de consumo, não por elas apresentarem menos risco de desenvolver câncer.

A pesquisa confirma que o consumo desenfreado de álcool é um fator de risco para o câncer e pode causar a doença. No entanto, também confirmou que o consumo moderado de álcool gera um risco “modesto” da doença. Isto é, em linhas gerais, se você não afundar o pé na jaca, as chances são de que você não aumente suas chances de câncer. O consumo de bebida álcoolica em excesso não é risco apenas para câncer, mas para uma série de doenças.

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]