Ciências

Mesmo cientista responsável por ‘matar’ Plutão, agora quer reconhecer ‘novo’ planeta

As crianças de hoje não conhecem mais Plutão como um planeta, mas se você nasceu na década de 90, provavelmente estudou isso na escola. Por anos, Plutão foi considerado o último planeta do Sistema Solar. Tudo mudou em 2006, quando um grupo de pesquisadores conseguiu convencer a comunidade de Astronomia sobre o contrário.

Mike Brown foi um dos nomes, senão “o” nome, mais relevantes nesse processo. Ao lado de Konstantin Batygin, Mike se dedicou a estudar Plutão e chegou a conclusão de que o (agora ex) planeta não tinha as características necessárias para ser considerado um planeta. Parece confuso, mas Plutão passou a ser considerado um mero corpo celeste, ou “planeta-anão”.

A decisão se tornou respeitada na comunidade científica, especialmente após aprovação da União Astronômica Internacional (IAU), mas ainda não é uma unanimidade. Existem frentes científicas que ainda tentam compreender Plutão e não aceitam tão facilmente a ideia de que ele não seja um planeta. Apesar disso, trata-se de uma determinação pacificada.

PUBLICIDADE

Agora, depois de causar toda essa polêmica, Mike Brown esta de volta. Ele, que é creditado como o homem responsável por “matar” Plutão, agora acredita ter encontrado um novo planeta. A descoberta já tem chamado a atenção da comunidade de Astronomia, mas ainda falta muito para ser levada em consideração.

O que Mike Brown diz

Basicamente. Mike Brown afirma ter encontrado um novo objeto circulando na órbita de Netuno, em um ponto chamado de Cinturão de Kuiper. Curiosamente é neste mesmo Cinturão que se encontra Plutão. No entanto, apesar da proximidade com o Planeta-anão, o novo objeto encontrado por Mike, supostamente, atende as características de planeta.

PUBLICIDADE

Mas o que são essas características? Para a comunidade científica, para que um objeto estelar ser considerado um planeta, ele precisa ter: não produzir luz ou calor, possuir gravidade própria e circular em órbita de uma estrela, dentre outras características. A Terra, por exemplo, possui gravidade e depende do sol para luz e calor.

Se Mike conseguir provar que este novo astro é um Planeta, seu nome será mais uma vez escrito na história. No entanto, ele ainda tem um longo caminho pela frente. Acontece que, ao falar sobre a descoberta, ele também revelou não ter imagens ou evidências que apontem para sua conclusão.

Talvez você esteja se perguntando de onde veio essa ideia, certo? Bem, Mike deduziu que o novo objeto é um planeta apenas pela análise de uma suposta força gravitacional. É claro que ele possui acesso a tecnologia de ponta, mas isso não encurta o caminho. Para provar sua tese, ele ainda vai precisar levantar muito mais evidências.

Achou pouco? Bem, de acordo com uma entrevista ao Daily Beast, Brown tem grandes expectativas. Sua suspeita é de que o suposto planeta seja maior que a Terra. Já pensou? O mesmo homem que “matou” Plutão, agora conseguisse rebaixar a Terra no ranking de planetas? Para a comunidade científica, a tese tem levantado algumas sobrancelhas. No entanto, como já mencionado, Brown vai precisar de provas que sustentem essa tese e, quem sabe, escreva seu nome mais uma vez.

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]