Ciências

Pela primeira vez nos EUA, bebê faz transplante de coração e timo

Em pleno 2022, é difícil surpreender alguém falando em uma cirurgia de transplante de órgãos. Isso porque, embora seja algo extremamente complexo e fascinante, o transplante é um procedimento existente há décadas na medicina e que já faz parte do imaginário das pessoas, do senso comum. Para se ter ideia, o primeiro transplante de órgãos bem sucedido foi registrado em 1954. De lá para ca, muita coisa mudou e evoluiu; no entanto, quem estuda essa área da medicina deve saber muito bem que ainda existe muito a se desenvolver.

Recentemente, o mundo assistiu o primeiro procedimento de transplante com órgãos não humanos. Aconteceu nos Estados Unidos e contou com o transplante de um coração de porco para um paciente humano. Isso foi possível porque os cientistas tem se aperfeiçoado na técnica de alteração genética. É claro que ainda existe um longo caminho até que seja possível realizar esse tipo de procedimento de forma comum, além de muitas barreiras éticas, mas se trata de um feito incrível.

Nesta semana, outro feito incrível foi divulgado e tem sido tão repercutido quanto. Acontece que um bebê, de apenas 6 meses de vida, recebeu um transplante duplo de coração e timo. A cirurgia foi feita em agosto de 2021, mas a divulgação do caso só foi feita agora, depois de uma longa revisão e podendo contar com algum feedback após a cirurgia.

O transplante foi feito por médicos da Universidade de Duke, uma das mais prestigiosas dos EUA, e o artigo trás detalhes do caso. Easton Sinnamon nasceu com a saúde bastante fragilizada e permaneceu no hospital durante os primeiros meses de sua vida, porque não conseguia se fortalecer o suficiente para ter alta. O sistema imunológico do bebê, assim como seu coração, eram debilitados e os médicos encontraram a solução nesta que é uma cirurgia pioneira.

PUBLICIDADE

Os médicos observaram que Sinnamon sofria com infecções recorrentes, o que levou a uma investigação que apontou o problema no timo. Foi preciso um pedido de autorização para realizar a cirurgia combinada, já que seria transplantado, não apenas o coração, mas também a glândula. A mãe de Easton falou sobre a decisão de aceitar a cirurgia e ressaltou que o procedimento não mudaria apenas a vida do filho, mas poderia ajudar outras pessoas. “Foi uma daquelas coisas que poderiam ajudá-lo e, se funcionasse não apenas o ajudaria, mas também pode ajudar milhares de outras pessoas com seus filhos que precisam de transplantes”, declarou Kaitlyn Sinnamon.

Hoje, meses depois do procedimento, os médicos já consideram o transplante um sucesso. Easton reagiu bem ao transplante e seu timo funciona bem. O menino já completou um ano de idade e, ao que tudo indica, sua saúde tende a se fortalecer cada vez mais. Para especialistas, o procedimento pode representar uma verdadeira revolução no mundo dos transplantes. Até o momento, esse transplante combinado só havia sido feito em animais. Apesar do discurso positivo e otimista, especialistas também defendem cautela e novos estudos, inclusive sobre o sucesso no caso Easton, para que o procedimento possa ser feito de forma cada vez mais segura.

via: uol

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]