CuriosidadeCiênciasQue destino foi dado ao cérebro do Einstein?

Que destino foi dado ao cérebro do Einstein?

Img Mobile - Que destino foi dado ao cérebro do Einstein?

Quando Albert Eistein morreu nos Estados Unidos, em 1955, uma série de especulações sobre o seu cérebro começaram a circular. Muitas pessoas acreditavam que o cérebro de Einstein fosse especial e apresentasse características nada peculiares.

Assim, o cérebro do gênio Albert Einstein foi removido para estudos científicos, enquanto seu corpo foi cremado na cidade norte-americana de Trenton, no Estado de Nova Jersey. Os cientistas removeram o cérebro de Einstein sete horas após a sua morte.

O órgão passou a ser o centro das atenções dos pesquisadores e já foi estudado diversas vezes ao longo da história. As diferenças encontradas no cérebro do físico foram usadas para defender diversas teorias sobre a neuroanatomia e a inteligência.





O cérebro de Einstein foi removido, pesado e preservado pelo patologista Thomas Stoltz Harvey, responsável pela autópsia do físico. O cérebro de Einstein foi dissecado em 240 seções.

Durante os estudos, os pesquisadores descobriram que o tamanho e a estrutura dos lobos parietais de Einstein estavam associados a sua habilidade com a matemática. Ao que tudo indica, o cérebro do físico era muito diferente do cérebro de pessoas normais. Einstein provavelmente tinha processos mentais de níveis mais elevados, o que explica a sua inteligência.

Em 1978, o cérebro voltou a virar notícia. O órgão ainda estava sob os cuidados do patologista Harvey. As seções cerebrais do físico estavam preservadas em álcool em dois grandes vidros de conserva.

Em 1980, pesquisadores da Universidade da Califórnia obtiveram amostras do cérebro de Einstein para novos estudos. Os cientistas descobriram nessa época que o cérebro de Einstein possuía mais células de glia relativas aos neurônios em todas as regiões estudadas, principalmente na área parietal inferior esquerda.

Em 2012, o cérebro do físico foi exposto na mostra Cérebro: A Mente como Matéria, que aconteceu no centro de exposições Wellcome Collection, em Londres. A exposição mostrou como destaque os pedaços do cérebro do físico Albert Einstein pela primeira vez.

Também em 2012, um novo estudo sobre o cérebro do físico foi feito, dessa vez na Universidade da Florida. A nova pesquisa mostrou que certas partes do córtex cerebral de Einstein, principalmente no córtex pré-frontal e no visual, eram diferenciadas e influenciavam no pensamento abstrato do físico, fator que foi importante na realização de suas experiências científicas.



+ Sobre essa Curiosidade: Relatividade Cérebro Einstein
Comentários:

Curiosidades Relevantes

  • Ilusão de ótica confunde o cérebro humano

    Um truque de ilusão de ótica difundido na internet vem intrigando muita gente por confundir o cérebro humano. Nesse truque, as pessoas são capazes de ver as...
    Leram 16614 Vezes

  • O calor faz mal para o cérebro?

    O calor pode fazer mal ao organismo humano como um todo, mas também pode afetar o cérebro de forma individualizada. A exposição ao calor intenso por período...
    Leram 14955 Vezes

  • Conhecendo o cérebro e seus hemisférios

    O cérebro humano é um conjunto de milhares de células distribuídas em uma área aproximada de um metro quadrado. Ele recebe cerca de 25% de todo o sangue que...
    Leram 22525 Vezes

  • Estresse altera o cérebro das crianças

    Um estresse intenso e duradouro pode desferir um golpe terrível em crianças, dizem os pesquisadores que descobriram que uma área do cérebro ligada à memória...
    Leram 12935 Vezes

  • Situações estranhas estimulam o cérebro

    Além de oscilações entre momentos ruins e surpresas agradáveis, oportunidades e ofensas, a vida também apresenta contradições A nota de três dólares; a f...
    Leram 22540 Vezes

  • Mistérios do cérebro humano

    O cérebro humano é um órgão complexo e cheio de mistérios. Mesmo com os inúmeros avanços da medicina, os médicos e pesquisadores ainda não têm explicações p...
    Leram 20962 Vezes