Ciências

Surto de mucormicose, doença do fungo, na Índia afeta pacientes da covid-19

A Índia vive uma situação caótica em face da pandemia da covid-19. O país é um dos mais afetados, com maior número de mortos. Em grande parte, a situação do país se deve a grande desigualdade social e precárias condições sanitárias enfrentadas por grande parcela da população. Paralelamente a pandemia, o país também tem visto o número de casos de mucormicose aumentarem.

A doença não é contagiosa, mas assusta porque seu índice de mortalidade é alto. Especialistas destacam que as chances até metade dos infectados morre da doença. No entanto, é importante entender o que realmente significa esse surto de mucormicose e qual agente causa essa doença.

Ao contrário da própria covid-19, a mucormicose, como o próprio nome sugere, é causada por um fungo. Dos fungos conhecidos pela medicina, a maioria não costuma oferecer riscos tão graves. Em boa parte, conhecemos os fungos como causadores de doenças simples, como pé de atleta, por exemplo,

No caso do agente causador da mucormicose, no entanto, trata-se de um fungo um pouco mais sério. De acordo com especialistas, trata-se de um fungo “oportunista”. Em geral, ele não afeta organismos saudáveis, mas pode causar grandes danos em pessoas com o sistema imunológico comprometido. Isso acontece porque quando o paciente esta “fraco”, acaba se tornando mais vulnerável.

PUBLICIDADE

A covid-19, nesse sentido, acabou se tornando o aliado perfeito para que o fungo alcançasse mais vítimas. O fungo em questão pode atingir o sistema gastrointestinal, respiratório e até mesmo a pele. A Índia tem visto o número de pacientes recuperados do novo coronavírus desenvolvendo mucormicose.

Um dos problemas graves que acaba ampliando o poder de doenças fungicas é que a indústria farmacêutica não possui uma gama ampla de medicamentos. A ciência se debruçou muito mais em doenças virais e bacterianas, mas tem sido surpreendida com a descoberta de fungos perigosos.

A EPIDEMIA NA ÍNDIA

Segundo números oficiais da Índia, quase 9 mil pessoas já manifestaram a doença. O fungo, conhecido como “fungo negro” afeta principalmente pacientes diabéticos em recuperação da covid-19. Do 36 estados do país, pelos menos 23 já confirmaram casos da doença. O estado de Gujarat é o que mais tem sofrido com a doença, concentrando mais de 2,200 casos. Já o estado de Maharashtra já registrou pelo menos outros 2 mil casos.

PUBLICIDADE

Em Maharashtra, pelo menos 90 pessoas já morreram pela doença. Diante da crise, o país tem procurado aumentar o estoque de Anfotericina B, um dos medicamentos usados no tratamento, e o mais importante deles. O antifungico age diretamente contra o fungo negro e é indispensável. O estado de Maharashtra chegou a ficar zerado do remédio.

O tratamento pode levar semanas e é importante que os sintomas sejam descobertos o mais rápido possível. Em alguns casos, os pacientes podem até mesmo precisar de cirurgia para remoção do tecido afetado. Uma das maiores dificuldades enfrentadas na Índia agora se deve ao fator “surpresa”, já que nenhuma esfera do governo do país se preparou para lidar com esse tipo de problema, focando esforços na pandemia da covid-19, e agora lida com a escassez em medicamentos.

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]