CuriosidadeMundo BizarroOrigem do Cozimento dos Alimentos

Origem do Cozimento dos Alimentos

Img Mobile - Origem do Cozimento dos Alimentos

A evolução humana aconteceu juntamente com um fato que para hoje parece simples: o cozimento. Estima-se que a primeira vez em que um ser humano cozinhou algo foi há 1,9 milhões de anos atrás. Para isso era necessário que o homem tivesse controle do fogo. O responsável pelo primeiro cozimento foi o Homo erectus.

De acordo com antropólogos, o controle do fogo e o cozimento surgiram por acaso. O Australopithecus se alimentava de carne crua. Para tentar deixar seu alimento mais fácil de mastigar, de maneira extremamente rústica, a carne era socada com pedras, de forma que as faíscas iam “grelhando” o alimento.

É interessante salientar o formato humano nesse período. O Homo erectus possuía o crânio 50% maior e a caixa toráxica mais pélvis 50% menor que seus ancestrais. Seus dentes eram pequenos, por isso a necessidade de deixar o alimento mais fácil para mastigação.

Isso influenciou muito na evolução da espécie. O alimento cozido possui maior conteúdo energético. Por isso, a espécie conseguiu desenvolver o cérebro. As calorias extras dos alimentos cozidos permitiram ao Homo erectus caçar com maior frequência.

Enfim, o cozimento melhorou claramente a qualidade da alimentação humana, interferindo diretamente na rapidez da evolução da espécie.


Juliana Miranda - Equipe do SitedeCuriosidades.com
Licença:
Creative Commons License



+ Sobre essa Curiosidade: Evolução Humana Humano Alimento Comida
Comentários:

Curiosidades Relevantes

Nos siga

O site dos curiosos.

Veja também

  • Raposa fere caçador a tiro de espingarda
  • Prender pum faz mal?
  • O que é e como funciona o mercado Forex?
  • Pesquisadores da NASA trabalham em sistema de propulsão a laser para chegar a Marte em 3 dias
  • Por que engordamos?
  • Projeto Natal ou Project Natal ou Kinect - Vídeo Game do futuro
  • Casal perde 80 quilos depois de dificultar decolagem de avião
  • Siglas de Internet

Você Sabia?

Em um tempo de vida médio é possível afirmar que a pele humana é renovada mil vezes.