Ciências

Cientistas descobrem 14 parentes vivos de Leonardo Da Vinci

É muito provável que você já tenha ouvido falar no nome de Leonardo Da Vinci, não é mesmo? Ainda que você não tenha tanto conhecimento sobre quem foi Da Vinci, deve saber que se trata de um dos maiores nomes da arte mundial. Da Vinci foi teórico, arquiteto, pintor e extremamente conhecido por sua arte e invenções. Em função disso, a vida de Da Vinci sempre gerou muita curiosidade tanto entre a população geral, quanto entre cientistas.

Há mais de quatro anos atrás, um grupo de cientistas se reuniu para o projeto DNA de Da Vinci. A proposta era exatamente aquilo que o nome sugere: a tentativa de mapear a genética de Da Vinci. O DNA do pintor era o grande objetivo, mas novas descobertas foram publicadas recentemente e causaram surpresa.

A ideia do projeto surgiu para investigar se os restos mortais encontrados no Castelo de Amboise são realmente de Da Vinci. Estes restos mortais foram encontrados no local e, ao longo dos anos, atribuídos à Da Vinci. No entanto, nunca existiu um teste irrefutável que provasse a informação. Por isso, o projeto nasceu e seus resultados tem sido divulgados aos poucos. Dessa vez, um artigo na Human Evolution acabou chamando a atenção.

PUBLICIDADE

O artigo se baseia em trabalhos anteriores na tentativa de criar uma árvore genealógica precisa da família da Vinci ou Vinci, dos ancestrais de Leonardo aos parentes vivos. A nova pesquisa identificou 14 parentes vivos do sexo masculino com idade entre 1 e 85 anos, todos da Toscana, principalmente nos arredores da cidade de Vinci, de onde a família vem.

Essas relações somam-se aos outros 35 descendentes conhecidos – homens e mulheres – que foram identificados em 2016. A nova “amostra” é composta por pessoas com o mesmo cromossomo Y. O cromossomo não parece mudar por cerca de 25 gerações, e assim permitiu aos pesquisadores voltar a Michele da Vinci – ancestral de Leonardo – ao próprio Leonardo como a sexta geração na família, para finalmente a 21ª geração de descendentes vivos.

Um fato importante é que Leonardo Da Vinci não teve filhos. Há quem defenda que Leonardo tenha sido um homem gay, embora outros acreditem que seja inapropriado usar o termo por ser considerado “moderno”. No entanto, não seria nenhum absurdo pensar que Da Vinci não fosse hétero. Inclusive, aos 23 anos Leonardo foi preso por sodomia, quando foi acusado de se deitar com outros três homens. Ele não chegou a ser condenado, por falta de provas, mas acredita-se que tenha passado algum tempo preso.

PUBLICIDADE

Portanto, Da Vinci não tem parentes diretos, mas tem uma extensa árvore genealógica e muito disso se deve ao seu pai. Acredita-se que Da Vinci tenha tido 22 meio-irmãos, o que lhe rendeu uma série de sobrinhos. Por isso, os cientistas são capazes de mapear a família ao longo de centenas de anos.

Outro esforço do projeto é tentar descobrir se Da Vinci possuía algo de extraordinário em seu organismo, algo que “explicasse” sua genialidade. No entanto, esse é apenas um efeito colateral da pesquisa, que tem como objetivo principal investigar os restos mortais atribuídos à Vinci.

Sobre o Autor

Roberta M.

Gosto de escrever sobre diversos assuntos, principalmente curiosidades e tecnologia. Contato: [email protected]