HistóricasLendas Urbanas

O Golem

O golem é um dos famosos mitos judeus. Reza a lenda que é um ser feito de barro, que ganha vida por magia e é obediente ao seu criador.

Extremamente forte o golem seria feito para defender pessoas. Mas também pode ser feito em tamanho menor com a função de enviar mensagens.

O ritual tem sido descrito desde o século XVI, seguindo as regras do livro Sefer Yetzirah, traduzindo Livro da Criação.

Conheça mais sobre esse misterioso ser lendo o texto abaixo.

Golem: um objeto místico

De acordo com a tradição, o primeiro rabino a tentar criar um golem foi o polonês Judah Loew ben Bezalel. No século XVI, ele teria feito um ser de barro para defender o gueto de Praga, na República Tcheca.

Seria uma criatura poderosa, muito forte, capaz até mesmo de ficar invisível. Mas não poderia agir aos sábados, em obediência à lei judaica.

Porém na história, há um relato anterior, de 1674, quando o golem teria sido criado pelo rabino Elias Baalschem.

Dizem que a criatura se descontrolou, provocando a morte do rabino ao destruí-la. Isso dá evasão ao significado da pena para o homem que quis imitar Deus ao tentar criar a vida.

Fazendo um paralelo ao monstro de Frankenstein, criado por Mary Shelley no século XIX, teria sido inspirado no mito do golem, entre outras obras modernas.

A lenda do golem está sustentada em 3 pilares:

  1. O primeiro em crenças ancestrais de ressurreição dos mortos.
  2. A segunda com práticas alquimistas de criação dada por terra e água.
  3. A terceira é a definição do próprio golem.

Uma criatura que foi feita pra servir que deveria ser devolvida ao barro de onde foi criada, assim que oferecesse perigo para comunidade.

Como seria o Golem – Crédito da foto: Thander / Wikimedia

A simbologia está no respeito aos elementos, que nunca poderão ser totalmente controlados pelo homem.

Profetizando a lei de Deus, “és pó e ao pó voltarás.” É no contexto do hassidismo, movimento judeu, que se desenvolve o mito do golem.

A lenda do golem forneceu elementos fantásticos para algumas literaturas entre autores alemães e judeus. Servindo de inspiração nos cinemas e peças de teatro.

Retratado muitas vezes como um personagem provocativo com tom de crítica política e social validada por cada época.

Você pode gostar também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em:Históricas