Por que morremos?

Dizem que a morte é a única certeza da vida! Mesmo com essa certeza, nem sempre paramos para pensar no envelhecimento como um caminho trilhado para a morte. Isso acontece porque todos nós sabemos que a vida é um processo natural, com começo, meio e fim.

Os seres humanos morrem por causa de uma perda progressiva e constante da capacidade de adaptação do organismo. Isso significa que o corpo humano passa por um processo de desaceleração da multiplicação e da respiração celular. Esse efeito faz com que as células tenham menos capacidade de reposição.

Com o envelhecimento, todas as estruturas do corpo perdem essa reposição celular, dificultando a integridade dos cromossomos na divisão celular. Esse processo é visto nos tecidos e também nos órgãos humanos.

A perda da capacidade de divisão normal das células é chamada de senescência celular. Esse fenômeno se intensifica principalmente após os 80 anos de idade. Por isso, existe um aumento crescente e significativo da taxa de mortalidade neste período da vida.

Alguns estudos sugerem que as pessoas que alcançam os 90 ou os 100 anos de idade passam um processo de sobrevivência seletiva que só existe para uma elite biológica, ou seja, pessoas com uma grande resistência genética.

A longevidade também está relacionada ao estilo de vida, à inteligência e à classe social das pessoas. De uma forma geral, o envelhecimento das células ainda é um mistério para a ciência, e muitos pesquisadores acreditam que existe um limite natural para a vida. Esse limite estaria justamente na perda de capacidade da multiplicação celular.



+ Sobre essa Curiosidade: Morte

O site dos curiosos.

Veja também

  • Segurar a mão da pessoa amada pode aliviar a dor
  • Mitocôndrias: Invasores genéticos
  • 18 Curiosidades da Costa Rica
  • Pequena Era Glacial
  • Euthanasia Coaster - A montanha russa da morte
  • Quando o segundo sol chegar... Tudo sobre o GTY421
  • Quais são os episódios escondidos da série Chaves?
  • Curiosidades sobre o clipe de papel

Você Sabia?

Em um tempo de vida médio é possível afirmar que a pele humana é renovada mil vezes.