Sarampo faz corpo esquecer como combater outras doenças

Sarampo faz corpo esquecer como combater outras doenças
Por Juliana Miranda

Os surtos de sarampo que vêm ocorrendo em diversas partes do mundo, inclusive no Brasil, são bastante preocupantes. A doença é grave e tem um impacto devastador no sistema imunológico humano, segundo estudos divulgados por cientistas.

Leia também: A falta de sono afeta o sistema imunológico?

Na prática, o sarampo deixa o corpo humano mais vulnerável a infecções e outras patologias. A doença tem um efeito que apaga partes da memória do sistema imunológico, fazendo com que o corpo deixe de combater doenças que já conhecia. Isso significa que o sarampo faz com que nossos anticorpos simplesmente desapareçam ou deixem de ser eficientes.

Essa característica do sarampo é especialmente prejudicial às crianças, deixando-as completamente vulneráveis às infecções, até mesmo àquelas as quais já eram imunes. Recentemente, a Organização Mundial da Saúde lançou um alerta sobre o sarampo, destacando a importância da vacinação contra a doença. A medida é importante, visto que atualmente existe um forte movimento antivacinas no mundo, o que é altamente prejudicial ao controle de doenças.


Estudos sobre o sarampo

Durante muito tempo, o sarampo foi uma doença considerada sob controle no Brasil. Mas, nos últimos anos, o país voltou a apresentar surtos.

Estudos recentes descobriram que o vírus do sarampo age diretamente sobre o sistema imunológico, apagando nossa memória imunológica que atua no combate a outras doenças infecciosas. Essa informação mostra como é fundamental se prevenir contra o sarampo e alerta para os perigos do movimento de resistência à vacinação infantil em vários países.

Duas pesquisas inéditas provaram que o sarampo é mais perigoso do que se imaginava. Além de ser uma doença extremamente contagiosa, o sarampo redefine o sistema imunológico dos seres humanos, fazendo com que o corpo volte para um estado com capacidade limitada de combater infecções. Os dois estudos foram publicados na Revista Science e na Revista Science Immunology e avaliaram grupos de pessoas não vacinadas.

Durante uma das pesquisas, os cientistas fizeram o sequenciamento dos genes de 26 crianças antes e depois da infecção pelo vírus e descobriram que os anticorpos criados para combater outras doenças haviam simplesmente desaparecido.

O segundo estudo relatou que o sarampo é capaz de destruir entre 11% e 73% dos anticorpos protetores do corpo humano. Como conclusão, os pesquisadores disseram que o declínio nas taxas de vacinação contra o sarampo e a presença de surtos da doença em vários países podem ter consequências terríveis, levando ao ressurgimento de outras doenças perigosas, como a difteria e a tuberculose, por exemplo.

Essa amnésia imunológica causada pelo sarampo é muito grave e pode deixar populações inteiras vulneráveis a várias doenças. De acordo com Stephen Elledge, geneticista e pesquisador do Instituto Médico Howard Hughes, dos Estados Unidos, existem "evidências realmente fortes de que o vírus do sarampo esteja destruindo o sistema imunológico humano".


O que é o sarampo?

O sarampo é uma infecção viral grave, que causa tosse, febre alta e feridas na pele. A doença pode levar a diversas complicações, como pneumonia e encefalite. Estima-se que 110 mil pessoas morram de sarampo todos os anos no mundo. A prevenção da doença deve ser feita com a vacinação contra o sarampo, em duas doses. No Brasil, a vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba, está disponível na rede pública de saúde.


Fontes: BBC, DW.com

Leia também:

Veja os principais mitos sobre vacinação

Por que existem vacinas via oral e outras, via injeção?