CuriosidadeCiênciasAmericana viveu 99 anos com órgãos localizados do lado errado do corpo

Americana viveu 99 anos com órgãos localizados do lado errado do corpo

Img Mobile - Americana viveu 99 anos com órgãos localizados do lado errado do corpo

Uma mulher americana, chamada Rose Bentley, viveu por 99 anos com uma condição rara e congênita de saúde. Ela tinha alguns órgãos localizados na posição incorreta em seu corpo. Essa doença é chamada de situs inversus com levocardia e consiste em ter o fígado e outros órgãos abdominais na posição oposta àquilo que é típico e normal na anatomia humana.

A mulher, que morava em uma cidade rural do Oregon, nos Estados Unidos, teve uma vida normal. Ela e seu marido possuíam uma loja de alimentos na pequena cidade. Além disso, Rose participava do coral e lecionava na Escola Dominical do município.

A família só ficou sabendo da condição do organismo de Rose após sua morte. Os médicos confirmaram que muitos dos órgãos dessa senhora não estavam onde deveriam estar. Com isso, Rose Marie Bentley foi considerada a pessoa mais velha a ser diagnosticada com este problema.


Entenda essa condição rara de saúde



O coração de Rose estava na posição correta, mas outros órgãos se desenvolveram do lado errado. Estudantes de medicina da Oregon Health and Science University, em Portland, analisaram a condição de Bentley durante uma aula de anatomia macroscópica.

Anatomia normal do corpo x situs inversus com levocardia
Crédito da imagem - CNN

De acordo com os pesquisadores, os órgãos da cavidade abdominal e do trato digestivo estavam transpostos inteiramente da esquerda para a direita. O professor responsável por guiar os estudantes na análise disse que nunca havia visto algo parecido.

Rose Bentley

A condição da situs inversus com levocardia ocorre em uma a cada 22.000 pessoas. Em geral, quem nasce com este tipo de problema não tem um bom prognóstico. Em apenas dois casos registrados até então os pacientes tinham conseguido viver até os 70 anos de idade.

Segundo as pesquisas já realizadas, somente uma a cada 50 milhões de pessoas nascidas com essa condição conseguem chegar à vida adulta. Esse tipo de formação dos órgãos costuma levar à ocorrência de sérios problemas de coração por conta da presença de defeitos cardíacos congênitos, mas, surpreendentemente, Rose Bentley viveu uma vida saudável e normal. Ela estava em boa forma e só apresentava um quadro de artrite. Rose teve cinco filhos.

Após sua morte, seu corpo foi doado para a Oregon Health & Science University, onde os estudos sobre sua condição foram realizados e a doença situs inversus com levocardia foi descoberta. Essa anormalidade atinge principalmente o fígado, o estômago e outros órgãos abdominais.

Além desse problema, Rose também foi diagnosticada com outras disfunções em seu organismo. Ela tinha uma anormalidade chamada de hérnia de hiato, que é quando uma parte do estômago se projeta através do diafragma; e possuía uma veia cava superior extremamente longa.

Contudo, mesmo com todas essas anormalidades, a americana nunca teve doenças crônicas. Seu caso foi apresentado no encontro da Associação Americana de Anatomistas.


Veja também:

Homem teve soluços ininterruptos por 68 anos

Dimelia ulnar ou mão em espelho

As 12 mulheres mais velhas a darem à luz no mundo



+ Sobre essa Curiosidade: Doenças Idosa Velhice

O site dos curiosos.

Curiosidades Diversas

Veja também

  • Estados Unidos registram 15 casos de peste bubônica em 2015
  • Existe algum aplicativo para descobrir senhas do Wi-Fi?
  • Submarino americano fotografa OVNI no oceano Ártico
  • Coisas que você não sabia sobre o Rio de Janeiro
  • O Registro Mais Antigo de Um Cometa
  • Quem eram os Samurais e quais eram suas armas de combate?
  • Um dos maiores terremotos da Terra...
  • Mitos e Verdades sobre a Atividade Física

Você Sabia?

Dos estados americanos, o Alasca ganha em número de empregados que vão ao trabalho a pé.