CuriosidadeHistóricasPor que a masturbação sempre foi um tabu ao longo da história?

Por que a masturbação sempre foi um tabu ao longo da história?

Img Mobile - Por que a masturbação sempre foi um tabu ao longo da história?

Do período da Idade Média até o século XIX, acreditava-se que a masturbação era responsável por causar insanidade. O tabu em torno deste tema sempre foi grande e, por isso, durante muito tempo, a masturbação foi considerada ruim e pecaminosa.

Para evitar a masturbação, ao longo dos séculos, o homem criou diversos dispositivos que tinham o objetivo de impedir que uma pessoa pudesse se tocar intimamente.


Conheça alguns fatos curiosos sobre a masturbação!




Símbolo de abundância


arte erótica rupestre

Brinquedos sexuais de 28 mil anos atrás
Brinquedos sexuais de 28 mil anos atrás - Crédito da imagem: Dailymail

Uma arte erótica encontrada em cavernas, criada há mais de 40.000 anos, já mostrava os sinais da masturbação. Embora o conceito de pornografia não existisse até a era vitoriana, historicamente, a masturbação foi considerada um símbolo de abundância. Os antigos sumérios, gregos e egípcios tinham uma atitude bastante relaxada com relação à prática da masturbação. O hábito só se tornou um tabu depois que o cristianismo se espalhou pelo mundo.


Ato pecaminoso


Ato pecaminoso, Onania
Crédito da imagem: Wellcomecollection

Em 1716, o teólogo holandês Balthasar Bekker escreveu "Onania”, ou o “hediondo pecado da autopoluição". Segundo o autor, quem praticava a masturbação desenvolvia problemas de estômago e pulmões, além de vômitos, paralisia, impotência, loucura, distúrbios oculares, perda de memória e até epilepsia. O escrito também era usado para vender um suposto remédio para a cura do desejo de se masturbar.


Deterioração física


Deterioração física por causa da masturbação
Crédito da imagem: Wikimedia

Em determinado período da história, divulgou-se a notícia de que a masturbação causava deterioração física.


Doença


Aneis de Jejum, anéis de metal no pênis
Crédito da imagem: Sciencemuseum

Os vitorianos achavam que havia uma doença chamada espermatorreia, evidenciada pela ansiedade, irritabilidade e emissões noturnas. A doença seria causada pela masturbação. O tratamento incluía o uso de anéis de metal no pênis.


Cintos de castidade para mulheres


Cinto de castidade para mulher

O cinto de castidade impedia as mulheres de fazer sexo enquanto seus maridos estavam em guerra. Os cintos eram muito insalubres e causavam feridas e infecções.


Cintos de castidade para homens


Cinto de castidade para homens
Crédito da imagem: Wikimedia

Os cintos de castidade tornaram-se amplamente usados no século XIX. Um modelo de cinto de castidade para homens foi patenteado em 1911.


Dispositivo de tortura


treliça espermática

Um dispositivo conhecido como treliça espermática restringia o fluxo sanguíneo, mantinha o pênis preso e impossibilitava as ereções.

Veja: As 7 torturas mais cruéis da história


Vibrador



Os vitorianos acreditavam que as mulheres eram muito mais frágeis que os homens e que tinham comportamentos histéricos. A cura para a histeria seria repouso e zero esforço físico ou mental. Os problemas sexuais eram especialmente atribuídos à histeria. Para tratar os casos, os médicos massageavam as pacientes. Esse comportamento levou à invenção do vibrador mecânico para uso doméstico.

Veja: Quem inventou o vibrador?


Tratamento para ninfomaníacos


massagens com água, Tratamento para ninfomaníacos
Crédito da imagem: Wikimedia

No final dos anos 1800, massagens com água eram usadas para tratar a histeria, a hiperssexualidade, a falta de libido e até a infertilidade. Neste mesmo período, as mulheres recebiam péssimas informações sobre o sexo, com o objetivo de impedir que elas tivessem relações sexuais regulares antes do casamento.


Estigma


cintos de castidade, dispositivo anti-masturbação
Crédito da imagem: Wikimedia

O abuso de pessoas doentes mentais foi desenfreado ao longo da história. Presos em asilos eram obrigados a usar dispositivos como cintos de castidade e espartilhos. O uso de choque elétrico, cauterização e até mesmo cirurgia genital sem analgésicos também era comum para evitar a masturbação.


Fraqueza moral


Fraqueza moral, mulher andando de bicicleta
Crédito da imagem: Wikimedia

A sociedade ocidental já foi tão conservadora que exigia que os bolsos das calças dos meninos fossem feitos longe dos genitais. Além disso, nas escolas, as crianças não podiam cruzar as pernas e as meninas não podiam andar a cavalo ou andar de bicicleta. Qualquer ato considerado proibido era uma indicação de fraqueza moral.


Invenções dolorosas


máquina anti-masturbação
Crédito da imagem: Wikipedia

Uma máquina anti-masturbação está em exibição no Museu de Máquinas Sexuais, localizado em Praga. Este dispositivo disparava um sino para acordar os pais sempre que um menino sentia um estímulo durante a noite. Outros dispositivos usavam choques elétricos para controlar ereções.


Legado vitoriano


circuncisão de crianças
Crédito da imagem: Wikimedia

Ainda hoje, muitas crianças são informadas de que seus corpos são pecaminosos e de que a masturbação causa problemas como cegueira e infertilidade. A circuncisão de crianças também é comum no mundo ocidental. Esses comportamentos são típicos legados vitorianos.


Veja também:

11 Razões para você se masturbar ainda mais, comprovado pela ciência

+ Sobre essa Curiosidade: Masturbação

O site dos curiosos.

Curiosidades Diversas

Veja também

  • Top 10 alergias mais bizarras
  • Estátua de Zeus | Maravilha do Mundo
  • Curiosidades sobre os nomes dos meses do ano
  • Buraco negro no centro da Via Láctea
  • Homem declarado morto acorda pouco antes de seu funeral
  • Quais lugares no mundo possuem o horário de verão?
  • Como se mede a riqueza de um país?
  • Curiosidades sobre as eleições dos Estados Unidos e Vídeo do Discurso da Vitória de Obama (2008)

Você Sabia?

É impossível criar uma pasta com o nome “con” no Windows.